SUS no Brasil

Por que os Brasileiros não podem contar com o SUS

O SUS (Sistema Único de Saúde) é um dos maiores sistemas públicos de saúde do mundo, indo do atendimento ambulatorial até os mais avançados tratamentos de saúde. Tudo de forma gratuita, inclusive exames e a maior parte dos remédios.

Atendendo a todo o país e com ligações com os Estados e Municípios, tudo seria perfeito se não tivesse problemas crônicos de gestão. O que era para ser uma solução tem se transformando num grande pesadelo para quem precisa de saúde no país.

SUS: Um Caos Generalizado

Em todo o país, sem exceção, os postos de saúde e hospitais passam por problemas crônicos como falta de leitos, de profissionais especializados, remédios, aparelhos e até serviços básicos como limpeza e alimentação. É comum ver na TV cenas de pessoas sofrendo na fila do atendimento ou simplesmente jogadas em corredores esperando a sorte de serem operados.

Esse caos generalizado tem a ver com a falta de investimento adequado a saúde e a demanda da população, assim como uma gestão realmente direcionada, que consiga revolver corretamente essas dificuldades.

Até mesmo casos onde o SUS tem hegemonia, como tratamento de hipertensão e câncer, o setor privado está a frente, com tecnologia mais avançada e atendimento mais humano aos pacientes.

Os funcionários, inclusive os médicos, são mal remunerados e como há falta de profissionais, acabam fazendo mais horas que o devido, gerando insatisfação, estresse e um atendimento deficitário.

Diante de todo esse quadro, torna-se impossível contar com o SUS para qualquer coisa que diga respeito a saúde.

É impossível confiar no SUS

A burocracia e a demora excessiva no atendimento é o principal motivo para que o brasileiro não possa confiar no SUS. Em muitos casos, ele vai até um posto de atendimento ou emergência para ser atendido num mal estar e não consegue ser avaliado por médico ou fazer exames, sendo indicado para voltar outro dia ou marcado para um bom tempo depois.

É uma grande sorte quando um paciente tem uma cirurgia marcada e consegue realizá-la sem remarcação. A maior parte dos hospitais está com tantas deficiências que não consegue manter um cronograma de cirurgias e exames para atender a demanda.

A sensação é de descaso das políticas públicas e de uma parte dos funcionários, seja públicos ou terceirizados. Motivo suficiente para não só perder a confiança num serviço tão importante, como para optar pelas redes privadas e convênios.